Faz alguma coisa!

É comum ouvir, normalmente em tom de lamentação, de que se sentirmos motivação para qualquer coisa, fazemos, se não sentirmos motivação, não fazemos! E que apenas sentimos motivação quando sentimos inspiração suficiente. Partimos do princípio do que este é um processo que ocorre numa espécie sequencial:

Quem nunca? Todos nós, até a um determinado nível de consciência!
Sentimos que se quisermos fazer acontecer alguma coisa na nossa vida mas não nos sentimos inspirados ou motivados, partimos do princípio de que não há nada a fazer! Habitualmente, não raras vezes, quando nos ocorre um evento emocional de maior importância na nossa vida é que podemos gerar motivação suficiente para sair realmente do sofá e das redes sociais e fazer alguma coisa.

Vou contar-vos um segredo:

A MOTIVAÇÃO não é uma cadeia sequencial recta dividida em 3 partes como mostrei acima, mas sim, uma espiral infinita!


Se prestarem atenção à espiral, vão facilmente perceber que se decidirmos começar na Acção, o que acontece imediatamente a seguir é a Motivação!

As Acções criam Inspirações posteriores que continuam a Motivar as nossas Acções futuras.
Aproveitando que agora somos todos consciêntes deste conhecimento, podemos escolher orientar a nossa atitude (ou o nosso mindset) da seguinte forma:

Se lhe faltar motivação para fazer uma mudança importante na sua vida, FAÇA ALGUMA COISA! Qualquer coisa! E veja o que acontece a seguir, aproveitando a reacção a essa acção como forma de se começar a motivar!

” Se estiver a meio de uma tempestade emocional de merda e tudo parecer sem sentido – se nenhuma das formas que usou para se avaliar foi atingida e não tem ideias do que vem a seguir, se sabe que se tem magoada a sim mesmo perseguindo sonhos falsos ou se sabe que existe um critério melhor para se avaliar mas não sabe como aplicá-lo – a resposta é a mesma – Faça alguma coisa.”

Mark Manson, no livro “A arte subtil de saber dizer que se f@da”

Assumir a nossa responsabilidade individual pela nossa vida, por tudo o que nos acontece de bom e de mau, é o primeiro passo para iniciar este ciclo.

Em vez de ficarmos perturbados com tudo o que acontece, faça alguma coisa!

Em vez de olhar para alguma coisa e não saber o que fazer e como fazer, faça alguma coisa!

Muitas vezes um pequeno passo que nos parece aleatório, fará com que coloque a energia a mexer. Se seguirmos este princípio do “Faz alguma coisa!” , o “fracasso” parece insignificante! Porque se fizermos qualquer coisa, se correr mal, que mal tem? Quando o padrão passa a ser meramente AGIR, sem requisitos, qualquer resultado é visto como um progresso e quando a inspiração é vista como uma recompensa e não como um pré-requisito, impulsionamo-nos para a frente. Sentimo-nos livres de falhar e o falhanço faz-nos avançar!

O princípio do “Faz alguma coisa!” não só nos ajuda aa ultrapassar a procrastinação, como a criar-mos a nossa própria inspiração. E não é fantástico perceber que nós somos a nossa própria fonte de inspiração? Que a inspiração está ao nosso alcance, sempre que quisermos? A acção está sempre ao nosso alcance e uma coisa é garantida, nada vai ficar como dantes! Alguma coisa vai mudar!

Por isso, na dúvida: Faça alguma coisa!

#QuestionArt #FazBoasPerguntas

Imensa gratidão, Ana Ferraria